Monday, September 12, 2011

Bibliofilmes 10.º 3.ª


Filipa
video


Filipa / José Saramago, As Pequenas Memórias / Muito Bom- // Pontos fortes Articulação entre obra lida e texto pessoal (este, aliás bem ilustrado, a preceder a alusão àquela); ponderação certeira entre a componente criativa e a referência ao livro. Aspetos melhoráveis Filipa é capaz de fazer melhores leituras em voz alta (velocidade, aqui e ali, excessiva; um «enfadonha» que saiu mal).



Pedro R.
video

Pedro R. / Lawrence Block, Uma punhalada no escuro / Muito Bom- // Pontos fortes Conceção de uma narrativa (quer na escrita quer na realização do filme) capaz de nos interessar, contando bem uma história e cumprindo muito aceitavelmente o formato trailer, que é dos mais exigentes em termos técnicos (som, cortes, cenas decisivas, dizeres). Aspetos melhoráveis Leitura em voz alta não talvez tão ensaiada como deveria ter sido (na segunda metade do primeiro minuto, por exemplo). Em «Não sabendo aquilo [com] que se estava a comprometer», parece faltar a preposição.



Gi
video

Gi / J. R. R. Tolkien, O Hobbit / Bom + // Pontos fortes Facilidade de representação, de encarar a câmara e parecer num verdadeiro colóquio ou num programa cultural televisivo, a que comparecesse uma crítica literária afamada. Aspetos melhoráveis Abordagem bastante centrada no reconto, que acaba por desfavorecer atratividade (quem não conhece já a história acaba por se sentir perdido entre tantos dados do enredo) e põe dificuldades à expressão oral (por implicar exigência acrescida de naturalidade). Condições técnicas (som).



Leonor
video

Leonor / Paul Auster, A Música do Acaso / Muito Bom - // Pontos fortes Idealização do filme (elegante, apelativo), com boa articulação com obra lida e revelando correta perceção dos constrangimentos impostos pelo género ‘trailer’. Aspetos melhoráveis Leitura em voz alta, ainda que sem falhas, não mima o exato estilo, relativamente altissonante (e, por vezes, com contrastes de entoação), típico de um trailer.



Ana Marta
video

Ana Marta / Ricardo Araújo Pereira, Boca do Inferno / Muito Bom- // Pontos fortes A escrita de um texto humorístico, ou de um texto irónico, é desafio com muitos escolhos que, no entanto, a Ana Marta venceu sem falhas ou pirosices. Dispositivo encontrado (apresentação do livro; emissão encaixada com locutora «marreta») foi boa solução, com dificuldades técnicas e textuais quase sempre bem ultrapassadas. Aspetos melhoráveis Em vez de recorrer a slides sobrepostos ao filme (que aliás implicam um som espúrio), tentaria que o texto indiciasse as personagens que figuram nessas imagens. Tempo-limite largamente excedido.



Ana Gisela
video

Ana Gisela / Eça de Queirós, A Cidade e as Serras / Bom // Pontos fortes Articulação do texto com imagens terá exigido bastante trabalho de pesquisa e destreza técnica. Clareza da leitura (numa velocidade ideal, embora se aconselhassem mais modulações, mais vivacidade aqui e ali). Aspetos melhoráveis A escolha do formato ‘reconto’ (acho sempre preferível encontrar-se abordagem mais inventiva). Uma ou duas más pronúncias («só e abandonado», «entediado»).



Afonso
video

Afonso / Dan Brown, O Código Da Vinci / Suficiente // Pontos fortes Ter-se-lido o livro (embora eu tivesse aconselhado outro estilo de obras). Ter-se cumprido prazos. Escrita do texto pareceu-me também razoável (apesar de o género ‘reconto’ levar a muitos «depois» e a uma estrutura difícil de amenizar). Aspetos melhoráveis A leitura em voz alta podia ter sido mais ensaiada. Também se deveria evitar usar tanto imagens do trailer de um filme.



Rafael
video


Rafael / Vergílio Ferreira, Manhã Submersa / Bom-/Bom(-) // Pontos fortes Rigor técnico. Bom acabamento de tudo. Boa escolha de livro. Aspetos melhoráveis Teria sido mais fácil adotar o Rafael uma abordagem menos ensaística. Este género de textos um pouco empolados acaba por parecer pouco vosso e implica uma redação difícil de gerir (por isso, algumas falhas, sobretudo de regências).


Cláudia
Cláudia / Lisa Hunger, Black Out — A Cortina da Memória / Bom - // Pontos fortes Capacidade de síntese. Equlíbrio entre informação, relato e comentário. Não há falhas de leitura (embora o som, tecnicamente imperfeito, prejudique um pouco a audição). Aspetos melhoáveis Tipo de abordagem convencional (em grande parte, de reconto) e extensão relativamente pequena.

Guilherme
Guilherme / Naguib Mahfouz, Os filhos do nosso bairro / Bom - // Pontos fortes Clareza do texto, arrumação, acabamento do filme. Leitura calma (embora com ligeiras hesitações). Aspetos melhoráveis Erros de ortografia em legendas (dou só as formas já corrigidas): «Mahfouz», «porém», «imundície», «apontarmos». Abordagem um tanto convencional (pedira que fugissem ao reconto).

José Nuno
Nuno / Isabel Allende, A cidade dos deuses selvagens / Bom -/Suficiente + // Pontos fortes Enquadramento inicial, pessoal, que torna mais atrativo o reconto que vem a seguir (esse engodo acaba depois por se esbater, à medida que o filme se foca no reconto). Aspetos melhoráveis Processo de ilustração do texto com slides (que representariam o que se vai referindo mas que acabam por dificultar a atenção ao que se vai lendo). Leitura em voz alta vai ficando progressivamente menos pausada.

Marta B.
Marta B. / Manuel Alegre, O Canto e as Armas / Muito Bom // Pontos fortes Qualidade (estética) da conceção de tudo. Capacidade de construir, criar, com originalidade e bom gosto. Aspetos melhoráveis Leitura, sendo boa, não é excecional (podia ser mais expressiva, creio).

Marta P.
Marta P. / Franz Kafka, A Metamorfose / Bom - // Pontos fortes Tratamento Aspetos visuais (que julgo serem da autoria de Marta). Leitura na velocidade ideal (mesmo se se aproveita pouco essa boa leitura, dados os problemas técnicos com som). Aspetos melhoráveis Preferiria abordagem menos de reconto.

Marta V.
Marta V. / Geronimo Stilton, O karaté te dou eu / Muito Bom (-) // Pontos fortes Capacidade, digamos, de verdadeira realizadora de um filme (com a coordenação eficiente, sempre com bom gosto, de uma série de domínios: criação de um argumento, direção de atores, montagem, enfim, tudo o que o cinema implica). Boa(s) leitura(s). Aspetos melhoráveis Livro escolhido (inteligente, útil, engraçado, mas sem a exigência de adaptação ao que é um pouco mais sofisticado em termos literários).

Pedro A.
Pedro A. / Luís de Camões, Os Lusíadas / Bom - / Suf + // Pontos fortes Animação (que julgo criada pelo Pedro) e sentido quase publicitário do filme (apelativo e inteligente; em crescendo). Aspetos melhoráveis Os Lusíadas escapavam ao perfil de obra que sugerira para esta tarefa (pensara eu que deviam evitar obras já estudadas em outras anos). Escassez da componente ‘expressão oral’ (era um trabalho que deveria exibir a leitura em voz alta...).

Sara
Sara / António Gedeão, Poemas escolhidos / Suf (+) // Pontos fortes Ideia, plano escolhido para o filme, era bastante exequível. Aspetos melhoráveis Leitura saiu demasiado apressada (mesmo se, por vezes, a expressividade até comportaria partes velozes — mas teria de haver momentos de contraponto); terá sido pouco ensaiada. Alguns erros, de acentos, nas legendas: «*levára», «*lagrimas».

Luísa




Luísa / Matthew Sharpe, O Pai Adormecido / Bom+/Muito Bom- ou Muito Bom- [vou ainda relancear o livro] // Pontos fortes Qualidade do texto criado (não pude ainda ler o livro, para poder avaliar das exatas transformações havidas; mas creio ter havido essa translação a partir do original). Imagens, cuja sequência, labiríntica, provoca efeito claustrofóbico. Aspetos melhoráveis «Parapeito» tem de ser lido «p[α]rapeito» (não é um /a/ aberto).


Miguel



Miguel / Miguel Torga, Diário / Bom - // Pontos fortes Efeito conseguido pela transposição de Diário, de Torga, para outro tempo, outro espaço, outro sujeito poético. Aspetos melhoráveis Técnica de recolha de som.



Francisco M.



Francisco M. / ? / Suf // Pontos fortes Boa iconografia (imagens de livros). Aspetos melhoráveis Ter-se usado apenas um formato expositivo (já preparado para outro contexto?). Opção por biografia de um autor, quando se combinara que se tratava de filme sobre um livro (se era uma das biografias de O’Neill que existem, falta essa indicação). Alguns erros de leitura: «divorcia-se» (ouve-se «*divórcia-se»); Instituto de Socorros a Náufragos (ouve-se «e»); uma «oposição pública» que não fica clara.



Francisco A.

Francisco A. / José Saramago, A viagem do elefante / Bom + // Pontos fortes Texto criado, com uso agora de narrador autodiegético, que, com originalidade, enquadra a história relatada por Saramago. Aspetos melhoráveis Leitura em voz alta. Mau acabamento em termos de imagens.



###